Histórias de recuperação

O CCA me ensina a ser uma pessoa melhor
Sou uma comedora compulsiva em recuperação diária, graças a Deus, a CCA e à minha boa vontade. Há 5 anos e 2 meses encontrei o CCA online e isto mudou a minha vida. Enfim, achara o que estava procurando por anos a fio, ao enfrentar, diariamente, a obsessão, solidão e desespero.
Minha obsessão pela comida começou aos 4 anos de idade e aos 7 comecei a roubar alimentos de minha família. Já na infância, fui marcada pelo sobrepeso. Aos 13 anos, aproximadamente, comecei com minha primeira dieta, através de uma revista para emagrecer, e aos 16 anos fui, pela primeira vez, a um médico que me prescreveu uma outra dieta.
Fui uma adolescente obesa e infeliz, muito infeliz. Vivia rodeada de moças magras, cujas vidas desenrolavam de forma natural, enquanto a minha caminhava sob a lámina da auto-destruição. Sentia uma necessidade enorme de me auto-punir e acreditava que não poderia ser amada por ninguém, pois, qualquer um que me conhecesse, em profundidade, jamais gostaria de mim. Destarte, só me sobrava a comida, a culpa e a auto-punição.
Devo ter feito, aproximadamente, umas 20 tentativas de dieta dos 13 aos 45 anos de idade, quase todas bem sucedidas. Sim, eu conseguia fazer dieta com muita força de vontade e alcançava o peso desejado.Depois de atingir a minha meta, entretanto, o inferno começava: eu era acometida por um surto compulsivo e engordava tudo que havia emagrecido e mais um pouco.
De sorte que durante 32 anos vivi à base do efeito sanfona: emagrecia consideravelmente, desfrutava de uma fase de auto-confiança presunçosa e depois engordava, engordava, sentia a minha auto-estima desaparecer e enfrentava momentos depressivos dolorosos e desalentadores.
Desde os 23 anos de idade eu sabia, internamente, que não era um ser humano “normal”. Desconfiava ser doente, porque todos engordavam e emagreciam um pouco e eu fazia “sanfonas” de 18, 20, 25 quilos. Os “outros” comiam e paravam de comer, enquanto eu comia, não conseguia parar e quando o fazia prosseguia pensando, obsessivamente, em comida.
Pensava em comida o tempo todo e comia quando não estava com fome; ansiava por comer sozinha e quando o fazia era capaz de guardar, junto às roupas e cosméticos, no armário, envólucros de guloseimas, comida ainda quente ; a comida afetava minhas relações sociais e uma grande do meu salário era destinada à minha droga em farras alimentares. Portanto, quando encontrei o site de Comedores Compulsivos Anônimos, respondi 15 “sims” às 15 perguntas do questionário e, incontestavelmente, eu estava diagnosticada: sou portadora de uma doença incurável e em três níveis - físico, emocional e espiritual. Eu sou uma comedora compulsiva.
Cheguei em CCA em 1º de novembro de 2007, comecei a prestar serviço nas reuniões online em janeiro de 2008 e graças a isto eu continuo voltando. Tenho trabalhado o meu programa de recuperação, nas últimas 24 horas, usando os 9 instrumentos que me são sugeridos. Há 4 anos e 2 meses frequento e presto serviço em salas presenciais de minha cidade. Assim, CCA online abriu-me portas “além dos meus mais ardentes sonhos.” CCA ensina-me, um dia de cada vez, a ser uma pessoa melhor.
Desejo a você mais 24 horas de abstinência e serenidade e que o seu Poder Superior continue lhe abençoando.


Voltei a Viver!
Olá, meu nome é D., sou uma comedora compulsiva em recuperação, cheguei em CCA em abril de 2010 após um momento muito forte em que ficou clara a mão de meu poder superior, algo que não percebi na época. Em um dia de fevereiro fui a minha ginecologista e comentei que eu tinha muito medo de morrer de câncer e ela me falou calmamente que eu deveria ter medo de morrer da obesidade . Naquela mesma noite a minha filha que na época estava com 3 anos dormiu no sofá e eu a peguei no colo e comecei a chorar muito por perceber que se continuasse a comer daquele jeito eu não iria ver aquela criança crescer , eu com 43 anos tinha desejado muito aquela criança e desejei profundamente parar de comer para poder ver a minha princesa crescer . Até hoje eu me emociono em lembrar aquele momento em que desejei profundamente parar de comer daquela forma e pedi ajuda a deus. A ajuda veio na forma de uma pessoa que me mandou um e-mail falando sobre CCA e sobre a existência de reuniões online de CCA aqui no Brasil. A reunião presencial mais próxima era distante mais que 100 km.
Impossível descrever aqui a felicidade e o alivio que senti quando entrei na primeira reunião online e ouvi pessoas falando de coisas que eu fazia e tinha profunda vergonha por fazer... Roubava comida da geladeira da casa dos outros, comia doces grandes sozinha em minutos , não conseguia cumprir promessas intermináveis que fazia para parar de comer o açúcar e procurava o preenchimento dos vazios em minha vida com o açúcar. O descuido com o meu corpo inclusive não querendo escovar os dentes, não querendo tomar banho. Naquela noite, uma sexta feira a noite sinto que nasci de novo naquela reunião online, senti que alguém se importava comigo, eu não era o traste que eu achava que era. E estou chorando ao escrever isso pois deus foi realmente maravilhoso por me mostrar CCA e principalmente pelas reuniões online. Passei a frequentar diariamente essas reuniões , consegui uma madrinha e dois meses depois comecei a prestar serviço ajudando a manter aquelas reuniões que estavam salvando a minha vida. Acredito que fiquei abstinente naquela primeira reunião online em que descobri que não era culpada por comer daquela forma e que havia esperança que eu poderia sobreviver sim e que eu poderia parar de comer, CCA funcionava e que aquele mundo estava ali, disponível pra mim todas as noites, dentro da minha casa.
Desde então presto bastante serviço para a manutenção dessas reuniões online, que são parte muito importante da minha recuperação, onde partilho minhas alegrias, minhas dificuldades e a minha esperança de continuar a abstinência que recebi de presente de deus naquela primeira reunião. Assisto em média duas ou três reuniões por semana, partilho, encontrei nas companheiras o amor incondicional, continuo trabalhando hoje com a minha quarta madrinha que tem sido uma bênção de Deus e me mantenho prestando serviço para que as reuniões que salvam a minha vida continuem, além de ser DD (Downloader Designado - pessoa que traduz documentos de CCA) junto à Junta Nacional. Também participo de reuniões presenciais, mas a minha casa tem sido essas reuniões online onde, literalmente, nasci de novo, tenho me recuperado no físico (perdi 42 kg nos primeiros dois anos e venho me mantendo), emocional e espiritual, com abstinência contínua, uma bênção para alguém que jogava doce da filha de 3 anos no lixo para depois de alguns minutos ir pegar pra comer. Só um milagre poderia me fazer parar de comer compulsivamente e esse milagre ocorreu pela graça de deus através das reuniões online.

Total de visualizações de página